A “Dra. Anna Fraude”

 

Uma personagem fictícia, criada por quatro pesquisadores, materializou-se num spam enviado a 360 periódicos científicos.

Anna-olga-szust
Anna O. Szust

Ela se candidatava a editora. Seu nome:  Anna O. Szust, uma brincadeira com a palavra polonesa oszust, ‘fraude’. O perfil criado para a Dra. Anna era fraco: basicamente a tese de doutorado  “Adult females’ (Homo sapiens) born during the spring season are more physically attractive” e capítulos de livros inexistentes  atribuídos a editoras inexistentes. 48 publicações caíram no embuste, sendo que uma  propôs a divisão  do lucro 60-40. O relato dessa experiência por seus autores:

Sorokowski, Piotr;  Kulczycki, Emanuel; Sorokowska, Agnieszka  Pisanski, Katarzyna. 2017. Predatory journals recruit fake editor.   Nature 543, 481–483 () https://www.nature.com/news/predatory-journals-recruit-fake-editor-1.21662



Imagem: https://commons.wikimedia.org/wiki/File:Anna-olga-szust.jpg

 

Anúncios