Apresentei um pôster (snif, snif?)

Depois da emoção de explicar o trabalho para gente que se mostrou interessada por ele num encontro acadêmico na área, o pôster pode ir para o cv-lattes. Pode ser colocado em “Apresentação de trabalho”, mas … ops! Não tem nada para pôster no lattes! Sobra um mísero “Outra” para incluir essa produção.

Ao desencantamento com o lattes se junta a inacessibilidade do trabalho que se segue à participação no evento. Então quem não foi ao congresso ou perdeu o dia do pôster não vai poder ver aquele trabalho tão legal que custou tão caro por causa da plotagem?

Existe uma possibilidade que vem sendo pouco explorada: fazer uma versão digital com resumo e palavras chaves e solicitar sua inclusão no repositório institucional. Na UFRJ esse repositório é o Pantheon. Num  mundo cada vez mais digital não faz sentido deixar um trabalho ser acessível por apenas um dia. Afinal, se era para esconder o trabalho não se faria uma apresentação num congresso.

Sobre livros, bibliotecas e usuários

Um colega chamou minha atenção para um artigo publicado este ano no jornal The Atlantic, com o título The Books of College Libraries Are Turning Into Wallpaperque apontava para o declínio da consulta e empréstimo de livros nas bibliotecas universitárias.  Segundo o artigo, para a última década, os números em Yale viram uma queda de 64%; na também prestigiosa Universidade da Virgínia no ano letivo 2007-2008 os estudantes de graduação consultaram 238 mil livros; em 2017-2018, 60 mil.

Os dados para as 45 bibliotecas da UFRJ estão abertos  para um período de tempo bem menor: 2017 e 2018. No tocante à Biblioteca José de Alencar da Faculdade de Letras, eles demonstram que  o movimento diminuiu não apenas para a graduação: em 2017, o movimento da biblioteca foi de 93.548 usuários; no ano seguinte de 2018, foi de 79.945. Mas a consulta e empréstimo de obras monográficas aumentou no período de 17.346 para 18.289, apesar de a biblioteca ter perdido quase 2000 m2 da sua área original e, no período, sua única cabine de estudos.

Ninguém  mais lê na graduação e na pós-graduação? Bom, muita coisa vem mudando, em especial nos últimos 50 anos. Em primeiro lugar, (basta comparar as referências — o tipo e a quantidade — para cada trabalho publicado, como assinalou Van Noorden para as Ciências Sociais) a ênfase nos artigos científicos mudou o foco dos usuários — da biblioteca para o Portal de Periódicos. Além disso, restrições orçamentárias severas têm depauperado o acervo das bibliotecas universitárias brasileiras de impressos e não impressos e dificultado melhorias no espaço físico, que, por sua vez, também acabam por afetar o acervo.


 

Cohen, Dan. 2019.  The Books of College Libraries Are Turning Into Wallpaper. The Atlantic, 26Maio2019. https://www.theatlantic.com/ideas/archive/2019/05/college-students-arent-checking-out-books/590305/

UFRJ/SiBI – Sistema de Bibliotecas e Informação. Panorama. http://www.sibi.ufrj.br/index.php

Van Noorden, Richard. 2017.  The science that’s never been cited. Nature Briefing, 13Dez2017. https://www.nature.com/articles/d41586-017-08404-0